Voltar ao topo

Projeto de crochê apoiado pelo IAP acontece no Centro de Ressocialização Feminino de Piracicaba (SP)

As aulas são ministradas por reeducandas que ensinam técnicas de crochê para suas colegas e ajudam a gerar renda

11 de Maio de 2020 - Instituto Ação Pela Paz

IAP_croche_int.jpg

Para minimizar os impactos da pandemia da COVID-19, o Centro de Ressocialização Feminino de Piracicaba (SP), em parceria com o Instituto Ação Pela Paz, - organização apoiada pela CNseg -, está realizando oficinas de crochê para as reeducandas, pois muitas estão com suas atividades de trabalho interrompidas por conta da quarentena.

O local abriga pessoas privadas de liberdade que são réus primários e com penas menores que 10 anos de condenação, tanto no regime semiaberto como no fechado.

As aulas são conduzidas por cinco reeducandas que já fazem parte de outro projeto de geração de renda por meio do crochê e, agora, repassam seus conhecimentos às colegas.

“Aparentemente, é uma coisa tão simples, mas vale muito. É muito engrandecedor e isso ainda gera renda.”, comenta Celeste Abamonte, diretora Técnica do Centro de Ressocialização. Além da possibilidade de geração de renda, as aulas também são terapêuticas.

“O projeto auxilia na convivência, no trabalho em equipe e no fortalecimento dos vínculos e do sentimento de bem-estar das reeducandas”, comenta Neuda Martins, supervisora Regional do Ação Pela Paz.

As peças produzidas no decorrer do projeto serão vendidas na feira de artesanato de Piracicaba, assim que esta retomar as atividades. Uma parte do valor das vendas será destinado às participantes e, a outra, para a manutenção do projeto, contribuindo para a sustentabilidade e perenidade das aulas.

 

CONTEÚDOS RELACIONADOS